quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Londres 1 - Mind The Gap!

Tudo bem: a globalização mudou o mundo, diminuiu fronteiras, aproximou culturas e tal e coisa. Ainda assim Londres se mantem tão única e singular, se orgulhando das diferenças, que, ao primeiro olhar, às vezes causa certo estranhamento. Talvez não seja um caso de amor a primeira vista. Mas esta pode ser daquelas paixões que acontecem aos poucos e, um belo dia, o lugar já não sai mais do pensamento. Muitas qualidades fazem de Londres/Reino Unido um dos destinos mais atraentes e inesquecíveis do mundo.

Para começar a forte personalidade da ilha com a vasta variedade de tudo: paisagem, cultura, literatura, arte, arquitetura e uma história riquíssima. Passando em seguida pelo jeito extremamente "polite" do inglês, gentileza comprovada nas diversas vezes que enfrentei as escadarias do metrô carregando o João no carrinho sempre com a ajuda de um amigável desconhecido. Depois a Inglaterra consegue, como poucos países do mundo, ensinar "entretendo". A dose exata de tradição e modernidade. Arte e diversão. Ideal para atrair olhares curiosos do público infantil ávido por novidades mas que se entedia facilmente das atrações didáticas demais ou dinâmicas de menos. Estivemos algumas vezes no Reuno Unido no período em que minha mãe morava em Londres. O João nos acompanhou em todas. Mesmo sendo bem pequeno na época, ele lembra com muito carinho de cada temporada e pede sempre pra voltarmos.

Por isso se você quer uma viagem cultural que agrade a gostos, idades e interesses distintos, o Reino Unido com Londres em especial, são caso seríssimo a se pensar.

- A libra esterlina, com cotação normalmente mais alta que o dolar e o euro, de cara assusta sim. Mas com um pouco de pesquisa e paciência, você consegue hoteis confortáveis, bem localizados e mais baratos. Os restaurantes são caros de um modo geral, mas as refeições semi-prontas vendidas em supermercados, bem mais em conta, gostosas e nutritivas até.

- Outra sugestão econômica para visitar Londres com a família é abusar dos famosos ônibus vermelhos que circulam fartamente pela cidade. Baratos para adultos e de graça para menores de onze anos, são uma atração a parte para as crianças, com escada e vista panoramica no segundo andar. Divertidos para a garotada porém com preços mais salgados, os famosos "Cabs", táxis londrinos compensam para curtas distâncias ou momentos de desespero e cansaço extremo. Valem o passeio, curto que seja. Que criança não acha graça em perambular por aí a bordo de um carro espaçoso, com bancos virados para ambos os lados e pilotado na mão inglesa? Aliás, descobrir as tradicionais diferenças do estilo britânico sob os olhos do seu filho vai ser um dos grandes baratos desta viagem.

- O cinematográfico "fog" ao melhor estilo "Jack o Estripador" já não causa tanto espanto. É verdade que na Grã Bretanha chove bem mais do que estamos acostumados. Mas olhando pelo lado bom, o tempo lá não é firme em nenhuma época do ano, por isso são raros os períodos longos de tempestades e temperaturas extremas. Ou seja, o céu ficou tenebroso de repente, pode clarear num piscar de olhos. Só esteja preparada para tudo. Um dia ensolarado e agradável em pleno inverno ou até chuva fina e fria no verão. Sombrinha e capas de chuva na mochila sempre.

- Cada estação tem o seu charme e atrações. No inverno londrino, invista nas infinitas atividades internas, museus imperdíveis, espetáculos de teatro, lojas tradicionais que fazem adultos e crianças sonhar e até nos centros comunitários de bairros residenciais com playgrounds cobertos e aquecidos(as vezes cobram uma pequena taxa mas são diversão garantida).

- No verão, como em todas as cidades europeias, a vida acontece ao ar livre. Londres está lotada de parques super agradáveis e muito bem-cuidados.

- Acordaram dispostos para uma boa caminhada? Sugerimos começar pela "The Mall", ampla e larga avenida que liga a Trafalgar Square ao Palácio de Buckingham. Seguindo o traçado da trilha construída no reinado de Carlos II, já foi o passeio mais elegante e cosmopolita da cidade. Até hoje a alameda guarda o glamour de outros tempos, sendo usada para desfiles em ocasiões especiais. Sigam alguns metros "entrando no clima" e imaginando com as crianças quantos séculos de realeza não passaram por ali, em trajes luxuosos e carruagens pomposas...

- Um pouco mais adiante, vocês vão estar diante da residencia oficial da rainha em Londres. No Palácio de Buckingham acontece, pontualmente às 11h30m, a cerimonia da troca da guarda. Diariamente nos meses de verão e em dias alternados no resto do ano. É inevitável: centenas de turistas vão provavelmente ter a mesma idéia que vocês. Por isso, vale a dica: chegar com alguma antecedência e se posicionar nos portões laterais, pois não ficam tão abarrotados. Por ali é feita a entrada dos regimentos e assim as crianças ficam bem pertinho dos soldados. A saída pelo portão central tem direito a banda escocesa e tudo. Desde 1992, a rainha passou a abrir as portas do palácio para visitação pública durante o verão, quando passa férias na Escócia. Uma atração bacana, se o bolso permitir, pela curiosidade de entrar nos salões oficiais de Buckingham, pois os aposentos privados de "Your Majesty" e cia ficam rigorosamente fechados.

- E que tal pausa para cachorro-quente no gramado de um dos cenários mais lindos da cidade? Em frente ao palácio, fica o St James Park e suas árvores de desenhos incríveis, lagos cheios de patos, cisnes e pelicanos que parecem barcos voando na água. Esquilos desinibidos vem bem pertinho atrás de petiscos para delírio das crianças. Explorem juntos o simpático playground com brinquedos de madeira.

- Se sobrar folego, saindo do parque caminhe até a Trafalgar Square, praça no coração da cidade que homenageia a vitória da Marinha Real Britânica nas Guerras Napoleonicas. A estátua do almirante Nelson, comandante na Batalha de Trafalgar, vigiada por quatro enormes leões em bronze, de cara chamam a atenção dos mais novos. Ao norte, encontramos a National Gallery, principal museu de Londres, com mais de 2300 obras, a maioria em exposição permanente. E o melhor de tudo, totalmente gratuito. Por menor que seu filho seja, sugerimos uma rápida subida pela escadaria do hall central e entrar a direita na sala com pinturas de 1700 a 1900. Mostre, por mais que ele ainda não tenha exata compreensão, a luz que irradia dos Girassóis de Van Gogh. Uma beleza. Na ala a esquerda da escadaria, brilha o gênio de Leonardo da Vinci na tela "Desenho de Leonardo", da Virgem e o Menino, santa Ana e João Batista. Claro que o museu oferece ainda muitas outras emoções com as paisagens de John Constable e William Turner, ou o único nu de Velásquez. Mas como sabemos, o prazo de validade do seu filho pode expirar a qualquer momento e o importante é ter poder de síntese em museus grandes demais.(http://www.royal.gov.uk/; http://www.nationalgallery.org.uk/)

- Não muito distante da Trafalgar Square, um bairro animadíssimo para toda a família. Até 1973 o Convent Garden era uma área de ruas e armazens decadentes. Mas depois de uma grande revitalização, os prédios vizinhos ao mercado vitoriano se transformaram em excelentes lojas, restaurantes, bares e cafés que hoje atraem uma multidão de gente bacana a qualquer hora do dia ou da noite. O lugar ganha ainda mais vida com a presença de artistas de rua que distraem o público infantil e adulto com números ao ar livre. Ah, sim, tem uma loja da Disney bem no meio do buxixo.

- Nas cercanias, fica ainda o Museu do Transporte de Londres, com uma coleção de ônibus, bondes, trens e metrôs, desde os primeiros veículos de traçao animal até os dias de hoje. Acabamos não conseguindo visitar em nenhuma das vezes que estivemos na cidade, mas sempre ouvi ótimos comentários a respeito. Mais um motivo pra voltar a Londres! http://www.ltmuseum.co.uk/

- O Big Ben está para Londres assim como a Torre Eiffel para Paris e o Cristo para o Rio de Janeiro. Certamente seus filhos já conhecem o relógio mais famoso do mundo de fotos ou clássicos do cinema como Peter Pan. Para as crianças este vai ser sem dúvida um "personagem" marcante da viagem. Portanto, se o tempo ajudar, preparem o espírito e as cameras para "o" passeio ao ar livre com sucesso garantido. Na verdade, Big Ben é o nome do sino de 14 toneladas que badala pontualmente a cada hora cheia. A torre do relógio marcando a hora exata da nação desde 1859 fica no Parlamento Inglês, lugar onde os projetos são debatidos pelas duas camaras, a dos Lordes e a dos Comuns, antes de se tornarem lei. Às margens do Rio Tamisa desde o século 16, o belo edifício está aberto a visitantes que queiram inclusive assistir às sessões, em horários sob consulta. http://www.parliament.uk/

- Reservem alguns minutos para visitar, quase em frente, a igreja mais antiga e importante de Londres, a Abadia de Westminster. Lugar mágico, cenário de muitas coroações e casamentos reais. Ali estão sepultados dezessete monarcas, além das principais figuras públicas da Grã-Bretanha, de políticos a poetas. Algumas curiosidades que podem interessar aos miúdos: o primeiro a ser coroado na abadia foi Guilherme o Conquistador, no Natal de 1066. Diretamente de Westminster foi transmitida a cerimonia de despedida da Princesa Diana, em 1997, acompanhada por milhões de pessoas em todo o mundo, com lágrimas, emoção e "canja" de Sir Elton John. Com exceção dos claustros e da bonita capela de St Margareth, com entrada gratuitas, o acesso ao interior igreja é cobrado. Se o orçamento permitir, vale cada penny das salgadas 15 libras de ingresso. http://www.westminter-abbey.org/

- Descendo pela Parliament Street, dois bons "spots" para fotos. Primeiro, em frente ao número 10 da Downing Street, a residência oficial do primeiro-ministro britânico, pelo valor histórico. E depois a Horse Guards, área de desfiles, para poses clássicas do filhote ao lado dos guardas e cavalos paradinhos feito estátuas, sem nem piscar!

- Atravessando a ponte Westminster, um símbolo da Inglaterra moderna. A roda gigante London Eye. O imenso olho com 135 metros de altura instalado no ano 2000 em South Bank para comemorar a chegada do novo milênio. Era para ficar apenas um tempo, mas acabou se tornando uma grande atração, recebendo mais de três milhões e meio de visitantes por ano. Aproveitem um dia claro para dar a volta com meia hora de duração e brincar com o filhote de "onde está wally", procurando cartões postais lá do alto, de onde os olhos podem alcançar a distancia de até 42 quilometros. Consulte o site para informações curiosas, como: cada cabine da roda gigante viaja a 0,9 km por hora, o dobro da velocidade de uma tartaruga. Estas novidades sempre tornam o passeio com as crianças mais divertido. http://www.londoneye.com/

- A pouquíssimos passos da roda apelidada pelo João de "aro de bicicleta gigante" encontramos o prédio que já foi a sede do Conselho do Condado de Londres e hoje está cheio de atrações para todas as idades, principalmente os mais novos. Como o Aquário de Londres, com enorme variedade de peixes, sempre um tiro certo. As crianças adoram fazer "carinho" e alimentar as arraias, ver os cavalos-marinhos e as super-lagostas. E certamente nem vão piscar na hora de atravessar a plataforma flutuante de vidro entre tubarões e cardumes prateados. http://www.sealife.co.uk/

- Outra area do prédio, de exposições temporárias, reserva ótimas surpresas. Certa vez nos deparamos com uma mostra incrível sobre a série Star Wars, com a presença "ao vivo" de personagens e um curso rápido para aprendizes de Jedi. A mostra The Movieum, em cartaz por tempo indeterminado, leva o visitante a uma viagem pelo mundo do cinema. Vale a pena conferir a programação no site. http://www.londoncountyhall.com/

- Regent´s Park e London Zoo - Parque batizado em homenagem ao Príncipe Regente tem, ao sul, a maior concentração de casas georgianas da cidade, e a nordeste, a divertida Candem Town, com seus movimentados mercados, lojas e cafés. Cercado por elegantes edifícios o Regents Park é hoje um dos mais movimentados e refinados refugios londrinos. Excelente opção de lazer, com teatro ao ar livre, parquinho bem simpático, grande lago com barcos e patos em diveras cores e tamanhos. Por falar na bicharada, o Regent´s Park abriga o zoológico de Londres, lugar agradável para passar o dia. Destaque para os gorilas e os meio esquisitoes mas sempre intrigantes dragões de Comodo. Na entrada eles fornecem a "agenda" com horários das refeições dos animais. Que criança não vai gostar de assistir aos leões famintos fazendo uma "boquinha"? Vale ainda uma passada no zoologico mirim, onde os mais novos vão gostar de tocar e alimentar filhotes de ovelhas, cabras e coelhos, e etc.

- No alto de uma colina a minutos de distância, um precioso refúgio:parque frequentado essencialmente por londrinos, com mais de 790 acres, lagos para nadar e pescar, uma vista belíssima da capital. Aos domingos o Hampstead Heath ganha um ar meio mágico, animadíssimo, enfeitado por pipas coloridas, crianças felizes da vida e atletas de fim de semana se exercitando. O bairro de Hampstead, que abriga o "the Heath", conserva até hoje a atmosfera de outras épocas, quando era um antigo povoado que mais tarde foi englobado pela metrópole. Lar de artistas e escritores desde os tempos georgianos está, ao lado de Highgate, entre as áreas residenciais mais cobiçadas de Londres.

- O Tamisa era a principal via de boa parte do comércio do país desde a época do romanos até a década de 1950. Hoje é uma das principais opções de lazer de Londres. Cruzeiros com duração de 30 minutos podem ser uma agradável maneira de conhecer a capital da ilha, desde o rio do Parlamento até a Tower Bridge ou até para visitar lugares mais afastados.

- Várias áreas próximas ao rio definitivamente merecem visita, pois agradam a gregos e troianos, são passeios deliciosos para todas as idades. Para uma sexta-feira ou sábado de sol, comecem com uma rápida passada no Borough Market, mercado de origem nos tempos medievais que oferece alimentos de muita qualidade, além de frutas e verduras. Alegre, divertido e cheio de cores.

- Perto ali, um barco pirata ancorado no cais vai com certeza chamar a atenção da garotada. Vem a ser a réplica do Golden Hinde, que foi comandado pelo capitão Sir Francis Drake na sua viagem de volta ao mundo. Em 1577, Drake partiu do porto de Plymouth, com permissão da Rainha Elizabeth I para atacar e saquear qualquer navio inimigo da Inglaterra. Não a toa até hoje na Espanha Drake e sua trupe são conhecidos como "piratas". Pois o capitão "capturou" tantos tesouros para a Grã Bretanha, que na volta foi condecorado, conquistando dinheiro e fama. O navio original não resistiu ao tempo, mas mesmo assim, se o orçamento permitir, recomendamos uma visita a réplica reconstruída com perfeição. http://www.goldenhinde.com/

- Caminhando alguns metros, você vai estar diante de um teatro circular em estilo totalmente elizabetano. O Shakespeare´s Globe foi o primeiro lugar a exibir teto de palha na cidade após o grande incêndio de 1666. Fica perto do Globe original onde estrearam muitas peças de William Shakespeare(você pode agendar visitas para a parte interna). Pode ser interessante falar um pouco para seu filho sobre aquele que é para muitos o maior dramaturgo de todos os tempos. http://www.shakespeares-globe.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário